Filme: A garota da capa vermelha

1 maio

Nem sei por onde começar essa resenha. Bom, melhor falar do que me fez ter vontade de ver o filme, né?

Pra que não sabe, eu sou formada em pedagogia. Sim, pedagogia! Bom, e durante o curso a gente estuda várias teorias de educação e se interessa por vários assuntos. Não sei se foi em alguma disciplina da faculdade, em coversas de corredor ou em pesquisas feitas na internet, o fato é que durante um tempinho considerável eu me pegava filosofando sobre aos contos de fadas e a importância que eles tinham (ou não) na formação das criancinhas. Qual a real mensagem que eles queriam passar? Qual o conto “original”? Será que a história que ficou famosa era a real história que o autor havia criado ou sofreu adaptações ao longo do tempo?

E pra quem não sabe, dizem que Chapeuzinho Vermelho era originalmente um conto para adultos, recheado de erotismo. E com o nome mais adultinho “A garota da capa vermelha”, fiquei super na expectativa de ser um filme que trouxesse esse lado mais adultinho da história. E bom, não é. Não é mesmo.

Não sabia nada do filme, não acompanhei as notícias que saíam a respeito dele porque eu super achava importante manter esse mistério da história real, sabe? Não queria ler nenhum spoiler, hahaha. Aiai, pobre inocência da criança aqui… e aí você me pergunta: por quê, Júlia? E eu te respondo aqui embaixo…

Amanda Seyfried no papel de Chapeuzinho Vermelho

A releitura do conto mais famoso dos irmãos Grimm, Chapeuzinho Vermelho, é estrelado pela jovem Amanda Seyfried (Querido John, Mama mia!) e tem no elenco também os desconhecidos (?) Shiloh Fernandez e Max Irons.

Max Irons e Shiloh Fernandez em uma das cenas de Red Riding Hood

O filme é da mesma diretora de Twilight (siiim, Twilight!), a Catherine Hardwicke. E acredite amigo, o filme tem não uma ou duas, ou três, mas várias, incontáveis cenas que são muito, muito parecidas com Crepúsculoa! Tipo cópia sabe? Dizem que eles tentaram a mesma fórmula do sucesso (oi?) pra tentar repetir o sucesso da saga. Fail total, na minha humilde opinião!

Pra quem não sabe, eu assiti Crepúsculo e fiquei bem viciadinha, lendo e relendo os livros, etc (melhor pular essa parte, né?). Mas tudo na vida tem limite, né meu povo? Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa!

Te falo uma coisa, no filme a Catherine Hardwicke não poupou esforços, a menina é mais ou menos “dividida” entre dois meninos, pensa em fugir pra ficar com o amor impossível, tem um lobão que parece ter uma ligação bem forte com a menina (alô, Jacob?), e pra fechar com chave de ouro o pai da menina é o mesmo ator que faz o pai da Bella, o Billy Burke! É mole ou quer mais?

Pra quem assistiu Twilight: essa cena lembra alguma coisa? hahaha

Bom, pra não dizer que não falei das flores, o filme tem algumas qualidades. A atuação de Billy Burke é uma delas, pra variar. O cara é muito bom. Uma das músicas da trilha também é muito boa. Estou falando da música interpretada por Fever Ray e feita especialmente pro film, The Wolf. Ela tem uma pegada meio Crepúsculo, mas a trilha desses filmes é boa pra caramba na minha opinião e de muita gente. Conhece? Vale a pena. Outra é que o filme se passa em uma vila medieval que fica num lugar bem frio e remoto, o que garante algumas cenas e cenários bem bonitos de se ver, apesar dos atores estarem meio que desconectados dessa ambientação em uma  cenas em que acontece uma festa a noite, na neve, no frio glacial e os atores lá, com roupas bem “fresquinhas” pra num falar outra coisa. Hahaha…

Ai gente, amarguras a parte, fiquei bem decepcionada por causa dessa expectativa que criei da história real da Chapeuzinho Vermelho, sabe? Se for pra falar pra alguém assistir ao filme, que seja com uma finalidade instrutiva. Faça o seguinte: assista Twilight, mesmo que você ache ridículo, odeie e não suporte todo o fator vício adolescente, forçação de barra de amorzinhos, etc. Depois assista ao Garota da Capa Vermelha. Dessa forma você vai ver o que é um filme cara de pau, cópia do outro. Você vai conseguir dar risadas de tão ridículo. Sério!

Olha o trailler:

E pensar que ao fazerem isso queimaram a chance de fazer um Chapeuzinho Vermelho contemporâneo de qualidade…aff.

Eu Que Te Pergunto: assistiu a filme? O que achou?

Anúncios

2 Respostas to “Filme: A garota da capa vermelha”

  1. Wall 18/06/2011 às 3:53 am #

    assisti twilight (aguentei os 3 filmes, firme e forte) e posso dizer q red hiding hood é muito melhor… o roteiro é melhor, a atuação é INFINITAMENTE melhor, além da produção, fotografia e direção de arte serem impecaveis… ENFIM, achei sem querer esse artigo no google e nao me contive.. é muito engraçado uma menina q acha q um livro sobre vampiros q brilham, pode ser melhor do que um classico da literatura, sinceramente, eu teria vergonha…. mas td bem, volte a assistir seus filmes, onde um dos protagonistas tem q ficar sem camisa em 90% das cenas… PQ CREPUSCULO É ARTE!

    • euquetepergunto 18/06/2011 às 12:35 pm #

      Wall, que bom que você deixou a sua opinião sobre o post. Legal que você gostou mais de Chapeuzinho Vermelho que de Crepúsculo. Respeito o seu ponto de vista, de verdade. Mas acontece que o meu ponto de vista é diferente do seu. E pontos de vista diferentes são importantes, mas desde que colocados com respeito, não acha? O que deduzi de seu comentário é que você teve uma leitura feita com pouca atenção e, no mínimo, tendenciosa, porque apesar de eu ter falado rapidamente no post e ter assumido que tive a minha fase Crepúsculo, como milhões de “meninas”, essa não era a questão do post, que tratava de uma expectativa que eu tinha, como educadora, da real história desse que é um conto infantil dos mais tradicionais. E vou explicar aqui novamente, se você permitir. Eu esperava assitir a um lado B do conto da Chapeuzinho Vermelho, uma história mais adulta, tendo em vista que já ouvi falar que chapeuzinho vermelho era na verdade um conto erótico (você sabia disso?). Além disso, deixei claro que não havia procurado informações a respeito do filme previamente para não estragar a surpresa da hora de assiti-lo! Pra você ter uma idéia da minha desinformação e expectativa, nem sabia que a diretora era a mesma do Crepúsculo! Fui reparar no início do filme, quando passam os créditos. E aí, quando situações acontecem no filme de maneira impressionantemente similar aos acontecimentos e cenas do Crepúsculo, impossível não perceber, né? E Crepúsculo tendo sido feito antes, a dúvida de saber quem imita quem não é, ou deveria, existir para ninguém. E ainda mais porque foi uma imitação sabida e consentida, tendo em vista que o filme é dirigido pela mesma pessoa, né? Enfim, o que quis falar no post não é da qualidade de Crepúsculo, mas da MINHA decepção ao assistir o filme que dá nome ao post, que no meu ponto de vista não tem valor nenhum pra história do cinema, assim como Crepúsculo. E não, Crepúsculo não é arte. Aliás, não me lembro de ter colocado isso em nenhuma passagem do post… Mas fato é que alguma coisa tem pra ter tantos fãs no mundo inteiro, não acha? Isso é um FATO, que como você disse, é um dos “filminhos”que costumo(?) assitir. E pode ter certeza, assisto filmes que têm importância pra história do cinema, filmes que são arte e filminhos sem importância pra relaxar, porque faz parte, né?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: