Tag Archives: livros

Livro: Travessuras da Menina Má

31 mar

Ganhei de aniversário um livro bem bacana que vale demais a leitura (valeu Kimura!).

O Travessuras da Menina Má é um livro do peruano Mario Vargas Lhosa que conta uma história de amor. E esse não é um livro qualquer de um escritorzinho idem. Mario Vargas Lhosa ganhou o prêmio Nobel da Literatura em 2010, além de outros prêmios já conquistados, como o Prêmio Cervantes e o Príncipe de Astúrias

Te falo uma coisa: esse não é uma daquelas historinhas água com açúcar que a gente tá acostumado não! Tem de tudo um pouco, e na medida certa. Para homens e mulheres lerem!

Esse é um daqueles livros que a gente não consegue parar de ler. Um amor de infância/juventude que reaparece na fase adulta, aquela desilusão, um passeio por vários lugares deliciosos de se conhecer… tudo atrelado a uma dose de sacanagem. Uma dose pequena, gente! Aliás, pra ficarem curiosos, o que se pode esperar de um cara japonês que se chama Fukuda? hahaha

Taí, esse livro foi uma ótima surpresa de aniversário, que super indico pra quem gosta de estar sempre lendo alguma coisa. Esse dá aquela variadinha boa do romance, suspense e dramalhão. Muito bom!

Agora Eu Que Te Pergunto: e você, já ouviu falar ou leu o Travessuras da Menina Má? Fala pra gente o que achou! E se ainda não leu, tá esperando o quê?

Voltar ao início

Anúncios

Oscar 2011: Harry Potter and the Death Hallows (Harry Potter e as Relíquias da Morte)

21 fev

Chegou a hora de falar de um filme mais antiguinho, em se tratando de Oscar 2011: Harry Potter e as Relíquias da Morte pt.1. E porque antiguinho? Bom, por 2 motivos: primeiro porque sua estréia foi em 19/11/2010 e segundo, e principalmente, porque estamos falando de uma história que já tem 10 anos, né gente? Foi em 2001 que J.K. Rowling lançou o primeiro livro do bruxinho mais pop da atualidade.

Sim, é um filme teen. Sim, gosto de Harry Potter. Assumo! Li o primeiro volume com 17 anos e, quando você gosta de uma história, não tem como largar no meio, né? E assim foi: li todos os volumes e foi com muito gosto que aluguei de novo o penúltimo filme da saga (ou antepenúltimo, já que o último é dividido em 2 partes) pra relembrar a história antes de assistir a Harry Potter and The Death Hallows. Sem dúvida os personagens amadureceram muito ao longo dos livros e o legal é acompanhar o amadurecimento dos atores que os interpretam.

Lembram do Rony gente, interpretado pelo Rupert Grint? Então, ele ficou gigante! E quem diria que aquela menininha que interpretava a Hermione, de cabelinho desarrumado, seria eleita a personalidade ícone em estilo pelo Elle Style Awards 2011? Kkk, muito legal isso. Eu aprovo, acho ela linda. Olhaí a evolução da mocinha e a sua “coroação” de estilo:

A evolução de Hermione

Criatura e Criadora: a evolução de Emma Watson!

Emma Watson: o ícone em estilo pelo Elle Style Awards 2011

O Harry (Daniel Hadcliffe) também mudou bastante. De menininho para um rapaz, olha só!

O crescimento do bruxinho Harry Potter

E pra fechar com chave de ouro, olha só o trio parada dura, que graciiiinha! hahaha

O trio de amiguinhos

Os atores Daniel Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint já crescidos! Lindos!

Bom, feitas as devidas considerações iniciais, vamos ao que interessa, né? A avaliação!

O filme está concorrendo em 2 categorias:

  • Melhor Direção de Arte e;
  • Melhor Efeitos Especiais.

O episódio final da saga é centrado em Harry (dãh!), que para destruir Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado, Você-Sabe-Quem ou, simplesmente, Voldemort, parte em uma aventura para destruir as Horcruxes. A dificuldade começa aí, ele não sabe o que pode ser cada Horcrux, onde elas estão escondidas e, finalmente, não tem a menor idéia de como destruí-las. Na tentativa de sucesso ele conta com seus inseparáveis amigos que, como sempre, têm suas desavenças convencionais agora ainda mais atrapalhada, porque com o amadurecimento… love is in the air!

Na minha opinião, esse foi um filme registro do livro, não teve nenhum encantamento ou surpresa além do esperado. Claro, por se tratar de uma história que se passa num mundo encantado, é recheado de efeitos especiais mas, se eles são inovadores ou encantadores o bastante para levar uma estatueta, aí já são outros quinhentos. Alice in Wonderland, de Tim Burton (em breve post desse filme!), pra mim, dá uma lavada no filme do bruxinho nesses quesitos (o filme concorre com Harry Potter nas 2 categorias que o filme do bruxinho disputa e ainda foi cotado para a categoria Melhor Figurino).

Vale à pena assistir? Pra quem acompanha a saga sim, lógico… Não assistir ao filme seria como começar algo e não terminar. Ler um livro e parar na metade… E no caso de quem não acompanhou a saga, vale à pena? Bom, aí depende se gosta de filmes de ficção, se ama algum dos atores do filme e da sua idade. Eu (com meus vinte e tantos anos) não assistiria. Para quem é pré adolescente ou adolescente o filme pode servir para despertar a curiosidade na saga e incentivar a leitura dos livros que, para mim, superaram todos os filmes da saga, como geralmente acontece nos casos de adaptação, né?

Pra te ajudar a decidir se o filme vale à pena, segue o trailler (que por sinal ficou excelente!):

Quer saber ainda mais? Dá uma passada no Scarpotter!

Agora Eu Que Te Pergunto: Curte Harry Potter? Assume publicamente isso kkk? Assistiu ao filme? O que achou?

Voltar ao início

Livro: O Hobbit

18 fev

Quando a trilogia de filmes The Lord of the Rings (O Senhor dos Anéis) terminou de passar nos cinemas, não consegui não ter vontade de ler a trilogia de J.R.R.Tolkien. Li e gostei. Não sei se porque eu tinha assistido aos filmes antes, mas o livro não me “viciou” como outros que já havia lido (e dizem que esta é uma das melhores adaptações de livro para filme).  A história sem dúvida é sensacional e tal, mas né, eu li já sabendo o final da história.

Mas o que dizer do começo de tudo? Isso eu não fazia idéia que não sabia…

Bilbo Bolseiro

Para saber o início de The Lord of the Rings só mesmo lendo O Hobbit. Lançado em 1937, o livro é um best seller e conta a história de Bilbo Bolseiro, um hobbit pacato (tio de Frodo, lembra?) que virou herói valente de uma forma bastante engraçada e duvidosa? quando foi convidado por Gandalf a partir em uma aventura com 15 anões. O motivo da aventura? Recuperar um grande tesouro dos anões que estava “perdido” na Montanha Solitária.

Para chegar lá os aventureiros passaram por vários lugares: pelas Montanhas Sombrias, pela Floresta das  Trevas, pela Cidade do Lago (essa passagem é bem legal) e, finalmente, pela Montanha Solitária, onde o tesouro está protegido pelo perigoso e medonho dragão Smaug.

Em cada lugar os protagonistas passam por bons bocados e, no meio da confusão Bilbo acaba encontrando um singelo anelzinho, sabe qual? rs.

A aventura não termina com o resgate do tesouro. O livro narra também a Batalha dos Cinco Exércitos, que acontece e acaba unindo uma série de espécies contra orcs e outros monstrengos. Essa guerra, aliás, é relembrada no livro e filmes do Senhor dos Anéis e, pela história, foi um dos maiores acontecimentos de todos os tempos.

E agora o legal: O Hobbit também vai virar filme! Os atores já foram selecionados e depois de alguns imprevistos (dificuldade de financiamento, greve de atores e problema de saúde do diretor) o filme finalmente começará a ser rodado a partir de março de 2011 na Nova Zelândia. O lançamento da primeira parte (sim, serão 2 filmes!) está previsto para 21 de Dezembro de 2012… em 3D!

Taí um filme que vai valer à pena demais assistir em 3D. O Senhor dos Anéis já é ducaralho excelente, imagina a continuação (ou início) em 3D! Imperdível!

Uma leitura cheia de aventuras e personagens encantadores. História super bem contada, que te prende do início ao fim.

Agora Eu Que Te Pergunto: tá esperando o que pra começar a ler? Gosta de da trilogia O Senhor dos Anéis?

Voltar ao início

Livro: Os catadores de conchas

30 jan

Acabei de ler o romance Os catadores de Conchas, e adorei.

O livro conta a história cativante de 3 gerações de mulheres de uma mesma família. Com a narrativa centrada principalmente em Penélope, filha de um artista que teve sua obra extremamente valorizada e, com isso, acabou gerando muita especulação de membros da família.

A autora, Rosamunde Pilcher, escreve de maneira leve e envolvente. Ela conseguiu fazer deste livro um best seller (título mais que merecido) tendo-o escrito com mais de 60 anos de idade.

Ao ler o livro o que ficou pra mim foi o quanto é importante se viver a vida e valorizar a família. Vale a leitura.

E agora, Eu que te pergunto: Qual livro você está lendo e/ou super indica??